Como as Redes Podem Acabar Com o Seu Protagonismo

Daí você posta aquela frase esperta e sem querer desperta a ira de um chefe ou cliente. Faz aquela piada num vídeo e as imagens viralizam pelo Facebook, WhatsApp e afins.

Exagero? Basta lembrar do caso dos brasileiros na Rússia, que gravaram uma brincadeira (sexista e sem graça, diga-se de passagem) com uma russa. Provavelmente a ideia era de que aquele vídeo nunca ganharia as redes sociais, mas muitos ali perderam seus cargos, a credibilidade e sujaram seu nome, ou seja, destruíram sua marca pessoal.

Assim como as redes sociais são verdadeiros foguetes que podem levar sua marca pessoal ao espaço do protagonismo, elas também podem acabar com a sua imagem e destruir seu sonho de se destacar positivamente, tornando-se protagonista na sua área.

Público x Privado

Muitos profissionais que desejam se destacar e alcançar o protagonismo me perguntam: devo criar um perfil novo no Instagram para trabalhar profissionalmente?

Deixa te explicar: as pessoas simplesmente não fazem mais a distinção da sua imagem na vida privada e da sua imagem na vida pública.

E quanto mais você se destaca, mais estará sob a avaliação da sua audiência. Faz parte do jogo e, com o tempo, você se acostuma.

Portanto, esqueça essa história de: “ah, aqui é meu perfil pessoal e eu posto o que eu quiser”.

No vídeo abaixo, passo várias dicas para você trabalhar suas fotos e imagem nas redes sociais.

Campo Minado

Os pontos abaixo são verdadeiras bombas que podem detonar seu protagonismo e sua imagem nas redes sociais. São eles:

  • Demonstrar uma imagem que não condiz com quem você realmente é e com o que você realmente pensa;
  • Cometer erros de português (#quemnunca #masébomevitar);
  • Fazer comentários preconceituosos – não é nada legal e pega super mal para a sua imagem;
  • Ser intolerante e tratar mal seus seguidores.

Evite (Ao Máximo) Polêmicas

Tome cuidado com suas declarações, postagens, interações e tudo que envolva sua marca para não ficar reconhecido de forma negativa.

Nas eleições, por exemplo, alguns influenciadores decidiram tornar pública suas posições políticas. Alguns escolheram um candidato que defendia coisas bem polêmicas, na contramão do que buscam as marcas de grandes empresas, como igualdade de gêneros, de raça, etc.

Muitos, mas muitos mesmo perderam grandes contratos por conta disso. Isso porque, ao colar sua marca pessoal à de outra marca pessoal, você cola na sua imagem os atributos daquela marca (preconceito, intolerância, etc).

Acontece que as empresas que decidiram romper contrato não queriam uma marca pessoal com aqueles atributos de marca (preconceito, intolerência, etc) ligados à marca delas.

Isso do ponto de vista técnico da comunicação e do marketing, sem nenhum julgamento de valor.

Errou? Peça Desculpas

Protagonistas são humanos. E quanto mais você estiver confortável com as suas vulnerabilidades, mais as pessoas vão se conectar com você.

Uma vez eu brinquei num stories que o meu apetite era bipolar: uma hora queria comer só comidas saudáveis e, na outra, só comidas péssimas pra minha saúde.

Uma seguidora que sofria de transtorno bipolar se ofendeu e me chamou no direct. Não vi outra atitude a não ser pedir desculpas, mesmo sem a mínima intenção de magoá-la.

Quanto mais cedo você pedir desculpas (se realmente você errou e fizer sentido), melhor pra sua imagem de protagonista.

E se você deseja criar, passo a passo, por meio de um plano de ação, a sua imagem digital, para protagonizar de vez seu mercado precisa conhecer o curso Do Zero Aos 10K. Ele vai te pagar pela mão para construir seu foguete rumo ao protagonismo.

Resumo da ópera, quem trabalha com o público precisa ter consciência de que ele estará sempre atento e que qualquer escorregada pode ser prejudicial.

Por outro lado, não adianta ficar preso ao medo de “o que eles vão pensar de mim”. Se você fizer vão te julgar. E se não fizer também. Muitos já julgam, as redes apenas amplificam isso. 😉

Um beijo e até mais!

Dani Almeida

Jornalista e Especialista em Imagem